Vale tudo?

Artigo de André Soares - 02/03/2021

 

O consenso geral na atual conjuntura, especialmente entre os jovens, vem sendo contaminado pelo discurso insidioso propalado por midiáticos e televisivos sexólogos(as) e outros “especialistas”, disseminando efusivamente aos incautos que no amor e no sexo vale tudo; sob o engodo de que, havendo consentimento mútuo entre os casais, tudo entre eles deve ser permitido. Portanto, se você é um(a) desses idiotas que pensam e se comportam assim: cuidado! Porque, com a mais respeitosa vênia, posso afiançar que sua vida é e continuará a ser uma “zerda”, ou coisa muito pior! Pois, a verdade verdadeira é que não vale tudo no amor e no sexo. Porque em absolutamente nada na vida, vale tudo. Nem na guerra vale tudo. A vida não é um vale-tudo.

A propósito, destaque-se que “Vale-tudo” é a denominação de uma das mais violentas modalidades de combate de artes marciais, que admite todos os estilos de luta, e que foi muito difundida no Brasil, inicialmente pelos irmãos Gracie. E mesmo nas lutas sangrentas do “Vale-tudo” não vale tudo. Nessa mesma linha, lembremos também a famosa e dançante canção “Vale Tudo”, interpretada pelo irreverente e inigualável Tim Maia, que contrariando seu próprio título, ressalta que não vale tudo na vida. Ou, como diz a canção:

Só não vale dançar homem com homem,

Nem mulher com mulher,

O resto vale...

Nesse sentido, destaca-se a sabedoria do filósofo Aristóteles, que profetizou, desde o século III A.C., que “o ser humano é um animal social”; demonstrando assim a importância vital do salutar relacionamento humano e social para a sobrevivência do indivíduo e a perpetuação da nossa espécie. E isso inexoravelmente somente se edifica a partir do estabelecimento de regras e normas de conduta, em todos os níveis e searas do relacionamento humano, sem exceção. Portanto, quanto mais auspiciosa, próspera, saudável e feliz for uma relação interpessoal entre casais, social entre indivíduos, ou política entre cidadãos, mais fortemente rígida será a sua estruturação em valores, paradigmas, normas de conduta, leis, e acima de tudo códigos de ÉTICA.

Assim, não desperdice sua vida acreditando na mentira de que “vale tudo” no amor, no sexo, ou que “vale tudo” em seja lá o que for. Porque “o difícil é saber o que é certo. Mas, quando se sabe o que é certo, o difícil é não o fazer” (André Soares).

 

Cadastro